Author: Carla Marques

lean-management-bphl-assessoria

No meu primeiro dia de estágio fui confrontada com uma realidade de termos novos que desconhecia relativamente à área da Gestão e do Marketing. Um deles captou a minha atenção: o Pensamento Lean ou Lean Thinking, como é conhecido no meio. Desde esse momento que pensei em escrever e perceber mais sobre o Lean Management , para assim desenvolver conhecimento e competências com base nesta filosofia.




O que é Lean Management ?


Após pesquisa percebi que se trata de um conceito que procura todas as ineficiências, colocando-as transparentes e à vista da organização, de modo a transformá-las em atividades de valor acrescentado. Pode ser entendido como uma base que engloba várias perspetivas sobre as organizações e como pode ser aplicada em várias vertentes, não importa se a organização é empresarial, privada, pública ou de caráter social.

Lean Management teve origem no Japão, nomeadamente, na indústria automóvel. Decorre do Fordismo e mais recentemente do Lean Manufacturing associado ao modelo do sistema de produção Toyota Production System (TPS). Foi criado por Taiichi Ohno e Eiji Toyoda entre 1947 e 1975, consistindo num sistema eficiente de produção, no qual a Toyota iria produzir um carro cada vez com eficiência, com toda a qualidade e que satisfaça todos os requisitos que o cliente pretende.

Criar Valor para o Cliente e Otimizar Recursos

De acordo com Sousa (2020, apud Bertagnolli, 2018), o principal objetivo do Lean Management, é «criar valor para o cliente otimizando os recursos e criar um fluxo de trabalho com início nos valores reais de procura do cliente». Na prática, com o Lean Management eliminam-se desperdícios inclusivé de tempo, esforço e dinheiro ao excluir de cada etapa de processo, o que não agrega valor.

Com o aumento da competitividade entre as organizações, surgiu a necessidade de analisar e estudar as atividades logísticas, de maneira a identificar os problemas e limitações que provocam perdas e desperdícios na cadeia de valor. Deste modo, torna-se fundamental reduzir os custos das empresas, encaminhando-as para obter melhores desempenhos, através da minimização ou eliminação das atividades que não acrescentam valor nos processos empresariais.

Segundo Sousa (2020), o Lean Thinking foca-se sobretudo em:

 

  • O CLIENTE é o foco de toda a operação;
  • O conceito de VALOR ;
  • Eliminação do DESPERDÍCIO em todas as áreas da cadeia de valor;
  • MELHORIA CONTÍNUA (KAIZEN) nos processos, produtos, propósitos e pessoas;
  • Colocar as PESSOAS no centro de todas as atividades e processos.

7 princípios do
Lean Thinking:

De acordo com Pinto (2009):


1. CONHECER QUEM SERVIMOS

2. DEFINIR OS VALORES

3. DEFINIR AS CADEIAS DE VALOR

4. OTIMIZAR O FLUXO

5. IMPLEMENTAR O PULL SYSTEM

6. PROCURA PELA PERFEIÇÃO

7. INOVAR CONSTANTEMENTE

 

É importante referir que o Lean Management promove aspetos da gestão de recursos humanos, como o caso de: bom ambiente de trabalho (motiva os colaboradores a uma maior produtividade); definição clara de objetivos a curto e a longo prazo; comunicação eficaz que resolve problemas; motivação adequada (é fundamental que os gestores percebam quais as motivações pessoais de cada indivíduo); desperdício de potencial humano (é recomendado que se consultem os funcionários que lidam regularmente com o problema que queremos solucionar); desenvolvimento dos funcionários (investir nas pessoas é investir na empresa) e liderança (o líder deve ser capaz de trabalhar em equipa e mostrar respeito pelos seus colegas e colaboradores).

 

 8 Benefícios do Lean Management na sua empresa: 

 
  1. Mais eficiência nas atividades e no trabalho
  2. Gestão simplificada em todos os processos
  3. Melhor controlo de qualidade
  4. Redução de resíduos
  5. Equipa Motivada
  6. Mais segurança no Trabalho
  7. Eliminação de falhas
  8. Fortes perspetivas de futuro

Em suma, o Lean Management é uma filosofia de gestão focada na melhoria contínua e voltada para a produtividade, que coloca o valor do cliente no centro das preocupações da empresa e que procura combater incessantemente os custos e desperdícios desnecessários. Contribui significativamente para a otimização de recursos humanos e físicos, com impacto direto na qualidade de trabalho e na motivação das pessoas, canalizando assim a energia para as atividades que efetivamente geram valor à organização e consequentemente, ao seu cliente!

criar-blog-poucos-passos

Vale a pena criar um Blog?

Ao longo da minha experiência como estudante de Ciências da Comunicação, sempre ouvi falar sobre a evolução e a história dos meios de comunicação. Durante o período de estágio curricular na BPHL, compreendi ainda melhor o quanto a internet contribuiu para esta evolução, desde da Web e do Marketing 1.0. Neste contexto, este artigo em particular procura,  essencialmente, responder à pergunta: “Como criar um Blog em poucos passos?”. Sendo assim, serão abordados os tipos de artigos existentes, bem como a estrutura de um blog. Com este avanço na comunicação começaram a surgir Blogs, que rapidamente se tornaram muito populares na internet, impulsionando, assim, milhões de pessoas em todo o mundo a criarem um, no qual partilhassem conhecimentos, hobbies e diversos outros conteúdos, desde receitas, notícias de celebridades até mesmo medicina.

O que é um Blog?

Os Blogs são ferramentas pessoais, de empresas ou de marcas constituídos por um conjunto de Artigos. Estes, permitem a transmissão de informação, elaborada numa estrutura que inclui textos longos, divididos por parágrafos e numa sequência de ideias ordenada.

 

Não dependem do tráfego pago ou de outras restrições impostas pelas redes sociais, por serem da responsabilidade do proprietário, criados em plataformas próprias. Os conteúdos de um blog, oferecem uma diversidade de formatos, como o exemplo de textos, imagens, vídeos, podcasts e infográficos em simultâneo.

No Contexto Empresarial

Também as empresas tiveram de se adaptar ao meio digital e, independentemente do canal, a prioridade é a criação de conteúdo relevante, que seja construído com uma linguagem adequada ao seu público alvo, sendo esta considerada uma estratégia de marketing de conteúdo.

 

Atualmente, os Blogs são espaços onde as marcas publicam conteúdo de forma regular, para que o público interessado possa aceder ao mesmo, além do mais, ter um Blog é uma excelente forma de adquirir notoriedade dentro da sua área.

6 Tipos de Artigos!

Para criar um blog em poucos passos é necessário saber o que escrever e, principalmente,  como escrever. Como já referimos, o sucesso está na qualidade e relevância dos artigos e se estes vão ao encontro do que a persona necessita. Existe uma variedade enorme de tipos de artigos que devem ser alterados ao longo do tempo, de modo a não cansarem o leitor, nem a si mesmo. Sendo assim, destacamos 6 deles:

 

1. ARTIGO DE OPINIÃO

Consistem na escrita de artigos nos quais se partilha a sua opinião sobre determinados temas, quer sejam da atualidade ou da área de formação e que possam ser relevantes para os seus leitores.

2. ARTIGOS COMPARATIVOS

Estes artigos podem ser utilizados para demonstrar comparações entre os seus produtos, reviews de produtos, apresentar as diferenças entre uns e outros e dizer de que formas podem ser mais apropriadas para certo tipo de necessidades.

3. ARTIGOS COM LISTAS

Conteúdo de rápido consumo e de fácil memorização, sendo um ótimo instrumento para captar a atenção dos seus seguidores. A lista dá uma clara perceção da informação que o leitor vai encontrar no artigo. 

4. ARTIGOS DE INSPIRAÇÃO

São artigos que inspiram a audiência, exemplos disso são partilhas da própria história de vida ou o processo de criação de uma marca própria, bem como o que o motiva a lutar pelo seu projeto. Um fator importante é conseguir criar uma ligação emotiva entre os leitores e a sua marca.

5. ARTIGOS QUE AJUDAM A ULTRAPASSAR PROBLEMAS

Neste tipo de artigos, e tal como em todos os outros, deve escrever-se sobre aqueles que são os principais problemas da sua persona e explicar como os mesmos podem ser ultrapassados.

6. ARTIGOS QUE EXPLICAM COMO FAZER

Exemplos deste tipo de artigos são “como fazer passo a passo” ou “como fazer mais rápido”, ensinando os leitores a fazerem coisas importantes da sua área. Um facto interessante é que a pergunta que o Google mais recebe é “Como fazer”, deste modo tente perceber o que é mais procurando na sua área e escreva artigos explicativos.

 
Desta forma, o ideal é diversificar tanto no tipo como no tema do artigo, de modo a não cansarem o leitor, nem a si mesmo!
 

10 passos para estruturar um Artigo de Blog:

1. TÍTULO

Este é um dos aspetos mais importantes na escrita de um blog, pois é ele que capta a atenção do leitor e faz com que  este decida se abre ou não o artigo. 

2. IMAGEM

É importante colocar uma imagem chamativa relacionada com o tema. Esta etapa não é obrigatória, no entanto é bastante aconselhada principalmente para os leitores mais “visuais”.

3. FRASE CHAMATIVA

Esta frase tem a função de chamar a atenção do leitor para que este continue a ler o artigo. Nesta etapa é comum dar algum destaque à frase, nomeadamente colocando-a em negrito ou itálico.

4. INTRODUÇÃO

Deve constar um breve resumo do artigo, à semelhança das fases anteriores, também a introdução deve ser chamativa, uma vez que normalmente esta parte fica aberta na página inicial do blog. Deste modo, o leitor só irá continuar a ler se este texto chamar a atenção, sendo assim deve apresentar conteúdo simples.

5. DESENVOLVIMENTO

Parte principal do texto e deve explicar tudo o que já foi referido até então. Além disso, é onde irá abordar o assunto do título com mais detalhe.

6. CONCLUSÃO

Esta etapa contém um texto bastante curto com as considerações finais e o fim do assunto. 

7. NOME DO AUTOR

Necessário colocar.

 8. CALL TO ACTION

Deve conter uma chamada ao leitor, exemplo disto é convidá-lo a compartilhar o seu conteúdo, a comentar, a tirar dúvidas, a dar novas ideias para futuros conteúdos, entre outros aspetos.

9. REFERÊNCIAS

Etapa opcional caso o autor se tenha baseado em outros textos. Aqui é comum colocar termos como “Traduzido de”, “Baseado em”, “Adaptado de”, etc. e colocar o URL da fonte.

10. LINKS RELACIONADOS

Outra fase opcional, caso se tenha mencionado alguma empresa, artigo, blog. À semelhança anterior também se coloca o URL de acesso.

 

DICAS RÁPIDAS: 

  • Identifique o seu público alvo e perceba quais os seus interesses e necessidades
  • Liste palavras e termos chave a incluir nos textos
  • Aposte na aparência visual com imagens, vídeos, formatação e organização do texto
  • Seja claro, conciso e objetivo 
  • Em formato digital optam-se por frases e parágrafos curtos
  • Utilize frases com sentido positivo
  • Reduza em adjetivos
  • Utilize a “voz ativa”
  • Releia sempre os seus textos antes de publicar!

Não se esqueça de manter a visibilidade dos seus artigos, com tráfego contínuo ao longo do tempo! Acrescente hiperligações em conteúdos externos, diretamente nas palavras que compõem frases com relação à temática do seu artigo.

Esta é uma das técnicas que contribui para a eternização do seu artigo de blog!

Agora que já sabe como criar um blog em poucos passos, está pronto para começar o seu?

Ver infográfico no Pinterest: https://www.pinterest.pt/pin/609182287097853785/

Iniciar conversa
1
não hesite em falar connosco!
Olá!
Não hesite em falar connosco, encontramo-nos ao dispor.